RSS

Alentejo

quarta-feira, 16 de abril de 2008


Além do Tejo é a extensão do alento. Quilómetros de estradas sem fim, agora com os campos cobertos de uma verdura de várias matizes. Aqui e ali o amarelo, o branco, o purpura, o vermelho das papoilas e o castanho da terra. Mais do que sentir a sensação de um passeio pelo Alentejo, quem passar por estas terras tem que meditar. E como diz o poeta que, nada haja de mais expressivo do que o limite nítido entre a intimidade do homem e a integridade do ambiente.

Percorrido e visitado Alcácer do Sal, encontramos a pequena aldeia de Santa Susana com suas casas brancas e azuis, a caminho de Santiago do Escoural. É no silêncio da paisagem que se enche a alma, mantendo através dos tempos essas características inconfundíveis das terras alentejanas.

Em Santiago pequena aldeia com suas ruas estreitas, os arcos, as silharias, as abóbadas e os coruchéus das suas casas, os pequenos largos, os sabores dos seus vinhos, a açorda de coentro, na casa típica do Manuel Azinheirinha, sentir assim, fora do nosso quotidiano, são sensações únicas.

5 comentários:

L.S. Alves disse...

Vai demorar um bocado até eu poder desfrutar o prazer dessa terra. Descreves tão que dá uma vontade de passear por aí.
Um abraço.

Teté disse...

Adoro o Alentejo!

Mas como diz o I.s.alves descreves lindamente a calmaria das paisagens, a planície a perder de vista, colorida nessas cores, e alguns dos seus sabores...

Quem me dera poder deambular por lá mais frequentemente.

Ah, mas esqueceste-te das cegonhas... :)

Abraço, amigo!

Carlos II disse...

Seu Alves,
venha depressa, qie o Alentejo é lindo nesta altura da Primavera.

Teté,
É verdade. Faltou referir as cegonhas com os seus ninhos bem lá no alto. No percurso vi alguns.

Dumuro disse...

See Please Here

Ahlka disse...

Verde, verde, dêem-me muito verde...
O Alentejo na primavera parece outro, de verão até me sinto contagiada com o 'sindroma da planície'.
Bons passeios, como te invejo.. :)