RSS

Amizade(s)

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Há a amizade institucional. Aquela que se estabelece nos locais de trabalho. Um dia aparece a reforma. Levemos um pontapé no rabo e vamos para casa. Cheios de saudades de uma vida activa e de contactos inter-pessoais. Desfazem-se os contactos. Tudo terminou.

Nas amizades online, por serem muitas das vezes virtuais, servem os seus fins meramente circunstânciais. Alguns relacionamentos tornam-se uma armadilha. Também não são profícuos.

Bem, nas amizades que vêm da adolescência, estas por serem naturalmente mais antigas, há uma relação mais duradoira. Uma certa cumplicidade existente, contudo, se desmorona, porque cada um tem a sua vidinha, como sempre difícil. Aparece os esposos, os filhos, as sogras os cunhados.

O que resta? O Amor. Esse é eterno.



7 comentários:

Teté disse...

Pois desta vez, lamento não concordar!

Tenho amigos do tempo de liceu, amigos dos tempos de namoros, amigos que foram antigos colegas de trabalho. É facto que uns desaparecem sem motivo de maior, que não seja o de seguir a sua própria vida. Mas alguns são, e suponho que serão sempre, companheiros de percurso. Quanto aos virtuais, acho que é difícil avaliar por enquanto, muitos certamente desaparecerão, mas suponho que, como na própria vida, alguns manter-se-ão...

O amor é eterno? Para mim é! Mas olha que está longe de ser uma ideia generalizada...

PS - a minha amiga mais antiga (não falando da minha irmã, que é só um ano mais nova) é-o desde os 11 anos, já lá vão 37...

Pascoalita disse...

É quase como dizes, mas não é regra geral.
É possível criar laços de amizade verdadeira e duradoura nos locais de trabalho, embora concorde que isso seja cada vez mais raro.

Bem, digamos que eu fujo um pouco à normalidade. Sou do tipo "amiga lapa" ... mantenho amizades há mais de 40 anos!

Mantenho contacto com um grupo de 8 a 10 "ex colegas/amigas" (juntamo-nos frequentemente)

Em relação a amizades on-line, após uns pequenitos dissabores, esforço-me por não me envolver excessivamente.

Cusquinha disse...

Pois ...

O AMOR é eterno. E o tempo à espera dele por vezes também dura uma vida inteira :(

Assim, enquanto se espera, vamos cultivando a AMIZADE.

Adrianna disse...

Sou muito saudosista.

Embora consciente do real valor que devo dar à tal "amizade institucional", sei que um dia vou ter saudades e atribuir-lhe a importância que não teve.

Mas também sei que acontece o mesmo com muito boa gente.

Carlos II disse...

teté,
A discórdia é salutar.

"O amor está longe de ser uma ideia generalizada". Está. E, nos tempos que correm. Mas o amor não é por isso que não exista. Amamos a natureza a o universo. Enquanto houver todas as formas de vida, existe...amor.

Gostei das diferentes abordagens das restantes bloguistas.

Quanto à amizade(s), prefiro ser muito prudente, fruto de certas decepções. Se calhar sou eu que sou demasiado exigente. Ou talvez não saiba preservá-las. Sei lá!

Laura disse...

Na amizade online servem os seus fins meramente circunstanciais (da minha parte, enganas-te) apenas quero falar, trocar ideias saberes risos e mais nada. Nenhum fim tenho em mente, nenhum mesmo, apenas ter amigos e divertir-me, rir-me e fazer rir e chorar se preciso for, de resto nada me move, nem ganhos nem trafulhas nem nada...assim..erraste comigo ehhhhh...

Não te esqueças que nunca vivi o suficiente em qualquer país onde vivi e por isso!...mas mantenho amizades em lugares distantes,seja pela escrita pelas visitas de tempos a tempos ou simplesmente guardo-os no meu coração, que ali tem lugar para todos...

O amor, doce amor entre todos mantenho muito amor por pessoas que já nem se devem lembrar de mim, mas que importa!...

Beijinhos ó carlitos e amo a ti tamém, ora pois...não sejas desconfiado e exigente, entrega-te e deixa o barco correr...

Ahlka disse...

Que tema escorregadio...O que é amizade? O que é amor? ;)